skip to Main Content

SPED – O QUE EU TENHO A VER COM ISSO?

SPED

Você deve ter ouvido falar do SPED, provavelmente pela sua contabilidade que pode tê-lo apresentado como mais uma obrigação acessória, como tantas outras que devem ser entregues ao fisco e que sua omissão, sujeita a empresa ao pagamento de multa.

Porém, você precisa saber é bem mais do que isso. SPED é o apelido do SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL e que a sua implementação vai impactar na vida de todos os brasileiros, mais do que você imagina.

Criado em 2007, o SPED faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC 2007-2010) e constitui-se em mais um avanço na informatização da relação entre o fisco e os contribuintes. Trata-se de um grande banco de dados que recebe de diversas fontes, informações sobre as operações realizadas pelos contribuintes.

O Sistema tem como objetivo promover a integração dos fiscos, racionalizar e uniformizar as obrigações acessórias para os contribuintes, ou seja, as informações que antes eram enviadas em uma declaração para a Fazenda Federal e em outra declaração para a Fazenda Estadual, por exemplo, a partir do Sped serão enviadas uma vez e estão acessíveis para todas as esferas do fisco, federal, estadual e municipal.

Outro objetivo do SPED é tornar mais célere a identificação de ilícitos tributários: através do cruzamento de dados e da auditoria eletrônica, a identificação de fraudes e sonegação de impostos será automática.

Como consequência, o governo prevê melhorar o ambiente de negócios para as empresas no País, eliminar a concorrência desleal, com o aumento da competitividade entre as empresas e ainda reduzir custos para o contribuinte.

O primeiro projeto do Sped foi a Nota Fiscal Eletrônica. Depois vieram: Escrituração Fiscal Digital – ICMS/IPI, Escrituração Fiscal Digital Contribuições – PIS e COFINS, Escrituração Contábil Digital, Escrituração Fiscal Digital.

A partir de janeiro, as empresas industriais e equiparadas estarão obrigadas a entrega do Bloco K, que contempla as informações do custo dos produtos vendidos.

Também em 2016 está prevista a implantação do E-social, braço do SPED que tratará das relações de trabalhistas, previdenciárias, fiscais e de segurança e medicina do trabalho.

A esta altura você deve estar pensando, que sua empresa é de pequeno porte e que não está sujeita a este sistema. E devemos alertar: por enquanto. O E-social, por exemplo será obrigatório para qualquer empregador independente do porte.

Além disso, estamos falando de uma tendência, um caminho sem volta. Assim que adaptado aos demais, e apresentando os benefícios esperados, certamente serão aplicados também as micro e pequenas empresas. Portanto, acompanhe e prepare-se.

O projeto SPED estabelece um novo tipo de relacionamento, baseado na transparência mútua, com reflexos positivos para toda a sociedade.

 

Equipe de Comunicação

Consultee Contabilidade

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top