skip to Main Content

FIQUE ATENTO: SUA EMPRESA PODE SER DESENQUADRADA DO SIMPLES NACIONAL

Simples-nacional

Em tempos de crise, todas as empresas, além de trabalharem para aumentar o faturamento, devem tomar providências para reduzir a inadimplência. Afinal, não adianta vender e não receber.

Com o governo não é diferente. A lógica é a mesma.

Temos ouvido falar e ler em tantas notícias, nos diversos meios de comunicação, com muita frequência o tema como déficit fiscal. E para equilibrar as contas, os agentes do governo, têm trabalhado para aumentar a arrecadação. Neste caso, o empenho, vai no caminho mais simples, que é o de aumentar impostos. O que percebemos é que este método tem encontrado barreiras. Provavelmente, por questões políticas e ainda gerado bastante polêmica entre a opinião pública, de todos os setores.

Analisando a situação, o que percebemos é que há outro caminho que os integrantes do governo estão se dedicando. Trata-se de saídas para eliminar a inadimplência. Neste sentido, a cobrança de impostos, em atraso, tem sido priorizada.

Por força de lei as empresas optantes pelo Simples Nacional – um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido – não poderiam atrasar o recolhimento do tributo.

Mas na prática, não é o que acontece. Inclusive por isso, há alguns anos, a Receita Federal disponibilizou a opção de parcelamento de débitos deste tipo.

E como citado, por força do quadro geral, a Receita Federal está notificando contribuintes enquadrados no regime do Simples Nacional. O desafio é que, quem possui débitos, pode sofrer exclusão, desta modalidade, a partir de 01/01/2016, por inadimplência.

Se você recebeu o comunicado, ou se não recebeu, mas possui débitos, planeje a regularização juntamente com sua contabilidade. Assim evitará a exclusão e consequente mudança do regime de tributação. Tais circunstâncias podem onerar, significativamente, a carga tributária, impactando em seu ramo de atividade. E em alguns casos, até inviabilizar o negócio.

Equipe de Comunicação Consultee

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top